[NOTÍCIAS DA IGREJA]

O feminismo levará as mulheres à extinção?

Um estudo publicado pela revista nessa semana diz que, em algumas gerações, as mulheres podem ser extintas. E, por consequência, a população de diversos países europeus e asiáticos. Em algumas das nações mais ricas da Ásia, elas estão optando por não se casar, um dos motivos das taxas de natalidade estarem caindo.

De acordo com números da ONU, as mulheres não terão filhas em quantidade suficiente para serem “repostas” em 83 países em todo o mundo. A não ser que as taxas de natalidade subam a partir de agora. Em Hong Kong, de cada 1000 mulheres, nascerão apenas 547 meninas se a coisa continuar como está. E essas mesmas meninas, quando crescerem, só gerarão 299 filhas.

Em 25 gerações, o número de mulheres no país vai cair dos atuais 3,75 milhões para apenas uma no ano de 2798 (levando em conta que costumam ter filhos lá pelos 31 anos). Macau, o país vizinho, chegará a esse número bem antes por conta de sua pequena população. Pelos mesmos motivos, Japão, Alemanha, Rússia, Itália e Espanha não chegarão ao próximo milênio.

***

Comenta Jorge Ferraz

Vi recentemente este estudo (acima) que apontava para uma possível “extinção das mulheres” (!) em algumas gerações. A previsão é um pouco absurda porque tem a ousadia de olhar muitos séculos à frente [p.ex., diz que “[e]m 25 gerações, o número de mulheres no país [Hong Kong] vai cair dos atuais 3,75 milhões para apenas uma no ano de 2798″]; mas serve para identificar tendências. Serve para fazer o alerta.

Até porque há previsões muito mais próximas e nem por isto menos dramáticas. Esta, p.ex., diz que em 2020 “haverá mais de 24 milhões de chineses sem mulheres para casar”. Não creio que semelhante flagelo tenha já alguma vez se abatido sobre a humanidade. Deste nós podemos nos orgulhar, porque ele é eminentemente moderno. Moderno demais.

E, diante de coisas assim, impressiona-me vivamente este paradoxo do feminismo (quer seja enaltecendo a “realização” da mulher que a faz não casar e/ou não ter filhos – como em Hong Kong -, quer seja defendendo e praticando o aborto – como na China). Que brilhante “defesa” das mulheres esta! Quem jamais ouviu falar em um movimento a favor de uma “classe” que, aplicado, leva à extinção desta classe?

São males modernos. São os frutos da modernidade. É o resultado de um mundo sem Deus.

Fonte: https://blog.comshalom.org/carmadelio/26091-o-feminismo-levara-as-mulheres-a-extincao