[MEAUX]

Meaux: Evangelização, história e tradição

 

O processo de evangelização de um povo para ser eficaz necessita de alguns requisitos:  antes de mais nada, da graça de Deus,  tendo como principal referência a história da Igreja, ou seja, a vida dos santos e santas, missionários e padres que ao longo de 2.000 anos semearam o evangelho da boa nova pelos 5 continentes,  e depois é perceptível que a inculturação, em outras palavras, usar da cultura local para comunicar o evangelho a um determinado povo é de grande valia na Evangelização.

Assim a Comunidade Palavra Viva está em missão na diocese de Meaux desde 2014, a Convite de Dom Jean Yves Nahmias, o então bispo, e festeja mais um ano de missão. A missão dos consagrados da Comunidade Palavra Viva é o anúncio aos jovens e às famílias. Entretanto, como anunciar Jesus na Diocese de Meaux? Primeiramente, conhecendo a diocese!  Meaux é a maior diocese da França, territorialmente falando, e também uma das mais diversificadas. Possui cidades milenares como a sede episcopal, Meaux, e cidades que possuem 20 ou 40 anos como o Valle da Europa, mais conhecido pela EuroDisney.  A diocese ainda abriga Igrejas como a Catedral de Meaux, conhecida pela claridade e pelo conjunto arquitetônico do mesmo estilo e época da primeira mais conhecida, a Notre Dame de Paris.

Outra grande riqueza são as vidas dos Santos que tanto marcaram a diocese, a começar por Santa Genoveva e Santo Columbano, monge irlandês que fundou inúmeros mosteiro e abadias na diocese,  podendo-se falar ainda dos 6 bispos santos, menos conhecidos fora da França, mas que marcaram profundamente a diocese de Meaux, ou a incrível história de Santa Batilda, a santa que era escrava, virou rainha da França, aboliu a escravidão, fundou uma abadia na qual livremente escolheu passar seus últimos dias a servir o Senhor, humildemente não quis ser abadessa e vendeu as joias da coroa para ajudar aos pobres. Seu vestido, que ainda hoje pode ser visitado, é o vestido mais antigo conservado na Europa.

A diocese também é conhecida pela arquitetura, começando por seus inúmeros castelos, como o de Fontainebleau, ou o castelo de Vaux-le-Vicomte que, deixando o então rei da França com inveja diante de sua originalidade e beleza, fez construir uma réplica em dimensões ainda maiores.

Artistas como Charles Peguy e Vitor Hugo viveram na diocese, o último inclusive em seus romances cita diversas cidades da diocese, por exemplo, Montfemeil, Chelles ou Langy Sur Marne. Além de homens como Luis Braille, nascido na diocese, inventor do sistema de escrita para cegos ao qual deu seu nome, formam a base da cultura local. Pode-se falar em personalidade como o mais ilustre Bispo de Meaux, Jacques-Bénigne Bossuet, famoso por seus escritos e sermões que lhe concederam o posto de tutor do príncipe da época. Bossuet foi ainda discípulo de São Vicente de Paulo. Sem falar do também Bispo Emmanuel Marbeau, que pela oração devotada à Nossa Senhora, trabalhou incessantemente pela paz durante a primeira Guerra Mundial, que causou muitos danos ao território de Meaux. Justamente um dos motivos por Meaux abrigar um dos maiores e mais visitados Museus dedicados a Primeira Guerra Mundial.

Para os consagrados da Comunidade Palavra Viva, é uma imensa alegria conhecer toda a riqueza e a história da diocese de Meaux, para compreender os desafios pastorais hodiernos, a fim de anunciar com destemor e com todo o entusiasmo a boa nova de Jesus.  A comunidade Palavra Viva é a primeira comunidade Missionária de Brasileiros instalada nesta diocese e é pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima e de Santo Estevão, padroeiro da diocese e da Catedral de Meaux, que é confiada esta missão, no intuito que como nos tempos de São Columbano, o monge irlandês, evangelizador pioneiro nesta igreja particular, o evangelho possa dar muitos frutos e alegria para a Igreja Universal.