[SÃO PAULO]

 

Santa Rita de Cássia: amor provado no tempo e no sofrimento

 

 

 

No dia 22 de maio, centenas de fiéis estiveram na paróquia Santa Rita de Cássia, na Vila Mariana, em São Paulo, para celebrar a sua padroeira.

Após uma procissão pelas ruas com a imagem da Santa das Causas Impossíveis, foi celebrada a Santa Missa pelo Frei Agostiniano Jesus. A Comunidade Católica Palavra Viva esteve presente ajudando com a música na liturgia.

Comentando o evangelho de São João, capítulo 15, o frei lembrou em sua homilia que quem não estiver unido á Fonte do Amor, que é o próprio Jesus, não colherá bons frutos. “Isso Santa Rita entendeu perfeitamente em sua simplicidade. O Amor não se aprende na escola, o amor sai de dentro do coração de cada um. O colocamos para fora à medida que vemos modelos de pessoas que vivem e nos transmitem esse amor.”, lembrou.

Vendo os passos de Santa Rita, sua vida desde pequena  temos muitos acontecimentos extraordinários nas coisas simples, que tem a ver com a gente, no dia a dia. Nem sempre o que pensamos pode-se realizar, pelo menos de imediato.

Sobre a Vida de Santa Rita, o Frei Jesus enfatizou a docilidade dela diante do casamento que lhe foi dado, visto que sentia o desejo de se consagrar a Deus. “Aceitou uma situação que lhe era imposta e procurou santificar-se naquele estado de vida que não havia escolhido, mas que viu ali a vontade de Deus e fez de tudo. Mesmo diante de um marido violento, respondeu com caridade, que é paciência, compreensão, humildade, aceitação.”, afirmou.

O Frei falou também que a Santa sempre viu nas situações de sua vida, uma nova perspectiva, como na morte do marido e dos filhos, viu a possibilidade de se dar inteiramente a Deus entrando para o convento.

“Quem se guia pelo amor de Deus encontra respostas para a vida, não fica desnorteado, não fica perdido. Se nós hoje queremos aprender alguma coisa de Santa Rita, mais do que pedir favores, olhemos para ela como modelo de virtudes, modelo de vida para cada um de nós que tantas vezes nos desesperamos por pouca coisa.”, disse o Frei.

Lembrou também do desejo de Rita de participar das dores de Jesus, de sentir na própria carne ao menos um pouco do que Jesus sofreu. “Ama tanto Jesus Cristo que quer se identificar até no sofrimento dele. Isso nos traz a vida, o amor em plenitude. Não podemos dizer que Santa Rita não teve sofrimentos e provações em toda sua vida.”.

Que a exemplo de Santa Rita, aprendamos a viver como cristão autênticos, tendo humildade e paciência para aceitar os sofrimentos e provações, nos unindo ainda mais á Fonte do Amor.