Santuario Madonna d’Ongero
SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DOS ANJOS
Diocese de Lugano - Suiça


 

Adentrando um belíssimo bosque de trilhas curtas e vegetação intensa, repleto de árvores frondosas e ribanceiras que denotam de forma artística a linda vista do lago de Lugano, se encontra o Santuário de Nossa Senhora dos Anjos na cidade de Carona, Suíça. Esta preciosa relíquia de arte barroca do século XVI carrega consigo um peso espiritual de séculos de devoção mariana e intensa manifestação da beleza e da infinita bondade de Deus, acolhendo e abençoando famílias desta nobre e pequena cidade e de tantas outras oriundas de todas as regiões da Suíça e de outras partes da Europa.

 

A construção desta igreja tem seu início no ano de 1515, quando uma menina surda e muda da região encontra, em meio às folhas das árvores e ervas crescidas, um afresco da Virgem Mãe de Deus naquele bosque e recobra a fala e a audição, justamente quando aponta para a aparição mariana e diz em alta voz à sua mãe: “Olhe mamãe, Nossa Senhora!”. Tal fato se tornou noto em toda a circunvizinhança e, imediatamente, gerou a devoção à Virgem Santíssima naquele belo bosque. Dita devoção impulsionou os habitantes da cidade a construírem uma pequena capela. Conta a tradição que, ao depositarem os materiais em uma parte mais baixa da colina para a construção, os anjos os transportaram para a parte mais alta, fazendo-os entender onde Nossa Senhora desejava que a capela fosse construída. Daí nasce a dedicação do Santuário à Nossa Senhora dos Anjos.

 

Nos anos transcorridos entre 1624 e 1640 esta primeira capela foi demolida para que fosse edificada a atual igreja, de estilo nitidamente barroco, que hoje traz o título de Santuário, onde, acima o altar maior, foi colocado o afresco de Nossa Senhora de Loreto encontrada pela criança que foi curada, única peça da antiga igreja ainda conservada até hoje.

Desde o ano de 2006, sob o convite, a benção e a acolhida do bispo Dom Pier Giacomo Grampa, então bispo da Diocese de Lugano, a Comunidade Católica Palavra Viva cuida da abertura e animação litúrgico-pastoral desta joia de arte sacra e recanto de espiritualidade mariana, promovendo o acolhimento dos peregrinos que visitam o santuário, além da realização dos momentos de espiritualidade ali desenvolvidos, como a adoração eucarística, celebração da Santa Missa, atendimentos de confissões por parte de um padre da Comunidade Católica Palavra Viva e pregação da Palavra de Deus.