[BÉLGICA]

Muitos passam por Ele, poucos o reconhecem

A missão Palavra Viva na Bélgica, iniciou neste verão as atividades missionárias na Basílica de Saint-Hubert, situada na cidade também nomeada Saint-Hubert. A Basílica foi construída por monges beneditinos, que habitavam na abadia anexa à Basílica. Turistas de todo mundo, que vem atraídos pela rica arquitetura em sua construção e restauração pós-guerra, pelas belas imagens esculpidas por inúmeros artistas e também pelo passado de milagres realizados pelo Santo.

Muitas pessoas passam pelo santuário com intuito de uma visita histórica e se esquecem que estão em um lugar santo, habitado pelo Deus vivo, muitos nem mesmo acreditam em Deus ou o conhecem e justamente a estas pessoas a Comunidade Palavra Viva acolhe dentro do santuário, com desejo de tornar Jesus e seu amor conhecido e recordar as pessoas que Ele está presente, convida-las a parar um momento em meio a história para contemplá-lo, para colocar diante deles suas intenções, agradecimentos e através de cantos e orações sentir um pouco daquilo que aqueles que estiveram ali a alguns séculos junto a Saint-Hubert sentiram, que ali é a casa de Deus, sentir que Ele está vivo.

 

 
[google-translator]
 
[BÉLGICA]

Muitos passam por Ele, poucos o reconhecem

A missão Palavra Viva na Bélgica, iniciou neste verão as atividades missionárias na Basílica de Saint-Hubert, situada na cidade também nomeada Saint-Hubert. A Basílica foi construída por monges beneditinos, que habitavam na abadia anexa à Basílica. Turistas de todo mundo, que vem atraídos pela rica arquitetura em sua construção e restauração pós-guerra, pelas belas imagens esculpidas por inúmeros artistas e também pelo passado de milagres realizados pelo Santo.

Muitas pessoas passam pelo santuário com intuito de uma visita histórica e se esquecem que estão em um lugar santo, habitado pelo Deus vivo, muitos nem mesmo acreditam em Deus ou o conhecem e justamente a estas pessoas a Comunidade Palavra Viva acolhe dentro do santuário, com desejo de tornar Jesus e seu amor conhecido e recordar as pessoas que Ele está presente, convida-las a parar um momento em meio a história para contemplá-lo, para colocar diante deles suas intenções, agradecimentos e através de cantos e orações sentir um pouco daquilo que aqueles que estiveram ali a alguns séculos junto a Saint-Hubert sentiram, que ali é a casa de Deus, sentir que Ele está vivo.