[SUIÇA]

O exemplo de vida de dois santos que atraem multidões há mais de 750 anos.

A vida de São Francisco e de Santa Clara de Assis sempre fascinaram todos aqueles que tiveram a graça de conhecer os seus passos, as suas histórias, já durante a vida deles, e ainda hoje continuam a atrair uma multidão de pessoas ao centro da Itália, na região da Úmbria, na qual fica localizada a cidade de Assis e em diversas outras cidades pelas quais esteve São Francisco.

Dos dias 28 a 31 de Outubro foi a vez dos paroquianos da cidade de Canobbio, junto a alguns membros da Comunidade Católica Palavra Viva da missão Lugano, aprofundarem-se mais na história de São Francisco e Santa Clara de Assis através de uma grande peregrinação.

 A peregrinação primeiramente passou pela cidade de Gubbio, famosa pela história do “Lobo de Gubbio”, com o qual Francisco teria feito um acordo junto aos habitantes da cidade para que o animal não atacasse os seus rebanhos, em troca os habitantes deveriam alimentar o lobo. Assim o lobo vivia próximo da cidade sem incomodar aos moradores, até o fim de sua vida.

A próxima meta era o Eremo delle Carceri, local montanhoso próximo a Assis no qual São Francisco viveu por algum tempo em oração, contemplação e penitência. Todos puderam também conhecer o Santuário de Rivotorto, famoso pelo episódio de São Francisco que lava um leproso, além de conter no interior do santuário uma antiga casa de pedra aonde viveu o santo com os seus primeiros companheiros. Se pode ver na estrutura do local a simplicidade de vida que Francisco levava.

Além desses locais não podiam faltar a Basílica de São Francisco, onde ele está sepultado, a Basílica de Santa Clara, onde também está sepultada a santa, a Igreja de São Damião, que foi a primeira igreja reconstruída por São Francisco e onde morou a primeira comunidade das “Pobres Damas de São Damião” (conhecidas posteriormente por clarissas), a Basílica de Santa Maria dos Anjos, onde está a famosa porciúncula, e por fim, já na região da Toscana, a região Della Verna, local onde São Francisco realizava retiros anuais (geralmente em Agosto e em preparação à Festa de São Miguel) e onde recebeu os estigmas – os sinais da Paixão de Cristo – nos seus últimos anos de vida.

Os membros da comunidade Palavra Viva puderam contribuir com essa peregrinação através da animação de alguns momentos de oração, animação com os jovens e animação nas Santas Missas, mas também puderam fortalecer a ligação espiritual com esses grandes santos, lembrando principalmente do exemplo de São Francisco – patrono da comunidade junto a Santa Teresinha – e do chamado que ele recebeu do próprio Cristo, de reconstruir a Igreja.

[justified_image_grid ids=”12191,12192,12193,12194,12195,12196,12197,12198,12199,12200,12201,12202,12203″]