Slide com plugin cycle
# # #

Contato

 

Sede

 

Tríduo Pascoal – Semana Santa 2017

 

 

Imagem1

 

 

“Povo de Reis, assembleia santa, povo sacerdotal, povo de Deus bendize ao teu Senhor” 

Canto de Entrada da quinta feira Santa

 

Este cântico - que relembra a união do povo de Deus participante do sacerdócio comum de Cristo - deu inicio a Missa vespertina da Ceia do Senhor na noite da quinta feira Santa, e repetindo a humilde ação do Senhor em sua última Ceia, celebramos o rito do “Lava-pés” onde alguns dos alunos da escola de evangelização representaram os doze apóstolos, recordando o que Jesus nos ensinou acerca do serviço a Deus e aos irmãos:  “O servo não é maior do que o seu Senhor [...]” cf. João 13, 16. O fim da celebração foi marcado pelo silêncio e reflexão, Jesus, que após nos ter dado o Seu Corpo e Sangue como alimento espiritual subia ao monte das Oliveiras para naquela mesma noite se entregar livremente por cada um de nós.

 

A Sexta Feira Santa foi um dia de profundo silêncio e meditação da paixão do Senhor, do Sangue derramado para remissão de nossos pecados; sentindo no coração a dor por compreender aquilo que nos diz o profeta Isaías: “Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades, o castigo que nos salva pesou sobre ele” cf. Isaías 53,5.

 

Momentos de deserto, reflexão, recitação do misterios dolorosos no Santo Terço, além da reprodução filme “A Paixão de Cristo”  preparam nossos corações para viver com intensidade a celebração da Paixão do Senhor, momento litúrgico fortíssimo vivido junto a Virgem Maria, aos pés do calvário, diante da cruz onde Senhor deu a sua vida por  nós. Ao fim do dia, no percurso da Via Sacra meditamos os sofrimentos de Jesus e daqueles que o acompanhavam neste caminho de dor e amor, meditando ainda aquilo que vivemos hoje e que fere o corpo do Senhor, fere o coração de nosso Deus. “Tudo está consumado” o corpo do Senhor agora descansava no sepulcro.

 

O silêncio não era mais pelo Cristo que sofria a dor de suas chagas, mas sim pela esperança do cumprimento de sua promessa: a Gloriosa Ressurreição do Senhor. Nesta esperança iniciou-se a Vigília Pascal, com a benção do fogo novo, sinalizando a luz de Cristo que voltava a resplandecer. Na beleza da liturgia e na alegria da ressurreição, meditamos a Palavra de Deus, desde a criação, passando por Abraão, Moisés e os profetas até chegar em Jesus, as sete leituras e os sete salmos nos recordavam as promessas de salvação do povo de Deus e o cumprimento dessas promessas. Após a Santa Missa ergueu-se um grande louvor aos céus, onde pela alegria e canto todos rendemos graças a Deus pela salvação que nos foi dada.

 

A vitória de Cristo sobre a morte alegra o coração daqueles que anseiam o céu! Com alegria no Domingo de Páscoa, durante a Santa Missa, todos cantaram a vitória de Cristo sobre a morte:  Jesus Ressuscitou! Ele vive e reina para sempre! Se em um jardim o pecado entrou no mundo e nos trouxe a morte, também num jardim a pedra do sepulcro rolou e pela ressurreição Cristo nos alcançou a vida eterna!

 

 

 

Tríduo Pascoal – Semana Santa 2017

 

 

“Povo de Reis, assembleia santa, povo sacerdotal, povo de Deus bendize ao teu Senhor” Canto de Entrada da quinta feira Santa

 

Este cântico - que relembra a união do povo de Deus participante do sacerdócio comum de Cristo - deu inicio a Missa vespertina da Ceia do Senhor na noite da quinta feira Santa, e repetindo a humilde ação do Senhor em sua última Ceia, celebramos o rito do “Lava-pés” onde alguns dos alunos da escola de evangelização representaram os doze apóstolos, recordando o que Jesus nos ensinou acerca do serviço a Deus e aos irmãos:  “O servo não é maior do que o seu Senhor [...]” cf. João 13, 16. O fim da celebração foi marcado pelo silêncio e reflexão, Jesus, que após nos ter dado o Seu Corpo e Sangue como alimento espiritual subia ao monte das Oliveiras para naquela mesma noite se entregar livremente por cada um de nós.

 

A Sexta Feira Santa foi um dia de profundo silêncio e meditação da paixão do Senhor, do Sangue derramado para remissão de nossos pecados; sentindo no coração a dor por compreender aquilo que nos diz o profeta Isaías: “Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades, o castigo que nos salva pesou sobre ele” cf. Isaías 53,5.

 

Momentos de deserto, reflexão, recitação do misterios dolorosos no Santo Terço, além da reprodução filme “A Paixão de Cristo”  preparam nossos corações para viver com intensidade a celebração da Paixão do Senhor, momento litúrgico fortíssimo vivido junto a Virgem Maria, aos pés do calvário, diante da cruz onde Senhor deu a sua vida por  nós. Ao fim do dia, no percurso da Via Sacra meditamos os sofrimentos de Jesus e daqueles que o acompanhavam neste caminho de dor e amor, meditando ainda aquilo que vivemos hoje e que fere o corpo do Senhor, fere o coração de nosso Deus. “Tudo está consumado” o corpo do Senhor agora descansava no sepulcro.

 

O silêncio não era mais pelo Cristo que sofria a dor de suas chagas, mas sim pela esperança do cumprimento de sua promessa: a Gloriosa Ressurreição do Senhor. Nesta esperança iniciou-se a Vigília Pascal, com a benção do fogo novo, sinalizando a luz de Cristo que voltava a resplandecer. Na beleza da liturgia e na alegria da ressurreição, meditamos a Palavra de Deus, desde a criação, passando por Abraão, Moisés e os profetas até chegar em Jesus, as sete leituras e os sete salmos nos recordavam as promessas de salvação do povo de Deus e o cumprimento dessas promessas. Após a Santa Missa ergueu-se um grande louvor aos céus, onde pela alegria e canto todos rendemos graças a Deus pela salvação que nos foi dada.

 

A vitória de Cristo sobre a morte alegra o coração daqueles que anseiam o céu! Com alegria no Domingo de Páscoa, durante a Santa Missa, todos cantaram a vitória de Cristo sobre a morte:  Jesus Ressuscitou! Ele vive e reina para sempre! Se em um jardim o pecado entrou no mundo e nos trouxe a morte, também num jardim a pedra do sepulcro rolou e pela ressurreição Cristo nos alcançou a vida eterna!

 

 

 

Visita de Dom Darci Nicioli à

 

Comunidade Católica Palavra Viva

 

 

 

 foto 1

 

 

Com grande alegria, no dia 27 de Dezembro de 2016, a Comunidade Católica Palavra Viva, acolheu Dom Darci José Nicioli - Arcebispo de Diamantina.

 

Foram muitos os momentos vividos durante a visita, marcada principalmente pela celebração da Santa Missa em que, durante a homilia Dom Darci salientou que a nossa caminhada deve ser como a de São João Evangelista, que viu e acreditou, e por isso anunciou. 

 

Grande foi a alegria que Dom Darci trouxe aos membros da Comunidade Católica Palavra Viva, que como Pastor ama e cuida de suas ovelhas. Bendito seja Deus, que nos ensina na simplicidade a vencer as dificuldades da vida, e concede aos seus filhos a fé e a esperança, para que assim avancem na construção do Reino de Deus.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que é mais importante:

 

o progresso científico ou a vida humana?

 

 

science

 

 

É inegável que as ciências médicas e biológicas prestam um grande serviço à humanidade e precisam ser apoiadas em seu desenvolvimento. Mas o progresso científico jamais pode ser um fim em si mesmo. É preciso lembrar que o fim último da ciência é o homem, cada homem e o homem inteiro.

 

A vida humana deve ser respeitada desde sua concepção até seu fim natural. Para que o progresso científico não seja uma ameaça à vida humana, mas sempre um meio de servi-la, os princípios morais foram suficientes nas diversas culturas e sociedades diante dos conflitos médicos e nos diversos campos da ciência. Para isso, surgiu a Bioética, uma área de conhecimento que visa amparar e proteger a vida humana frente ao necessário progresso científico, médico, biológico ou biomédico que vemos nos tempos atuais.

 

O progresso técnico deve ser controlado e acompanhar a consciência da humanidade sobre os efeitos que eles podem ter no mundo e na sociedade para que as novas descobertas e suas aplicações não fiquem sujeitas a todo tipo de interesse.

 

Portanto, diante de conflitos éticos que colocam em risco a vida humana, a bioética serve como um luzeiro que ilumina a consciência dos diversos profissionais para que nunca se esqueçam quem está a serviço de quem, ou seja, não é a vida humana que está a serviço da ciência, mas a ciência que está a serviço da vida.

 

 

 

 

 

Disponível em aleteia.org <http://pt.aleteia.org/2017/02/13/o-que-e-mais-importante-o-progresso-cientifico-ou-a-vida-humana/>. Acessado em 20 de fevereiro de 2017.

Vigília de Advento em Pontault-Combault

 

Vigília de Advento em Pontault-Combault

 

 

Imagem1

 

 

 

 

Em preparação para o tempo do Natal a pastoral jovem do setor de Ozoir e Pontault Combault da diocese de Meaux/França organizou uma vigília envolvendo diversos grupos de jovens de várias idades para uma vigília de advento.

 

Toda a vigília esteve voltada para a preparação da acolhida de Jesus. Desde os cantos escolhidos, às atividades e textos propostos para os tempos de oração e de meditação pessoal e em grupo.

 

Para animar essa vigília através da música e do testemunho, a pastoral de jovens do setor convidou os consagrados da Comunidade Palavra Viva. Os consagrados juntamente com um grupo de adultos e jovens animaram os cantos da vigília e participaram das atividades propostas, todas ligadas ao advento. Os mais jovens participaram de um ateliê de presépio, outros de confecção de cartão de natal.

 

Alguns dos consagrados estiveram com os adolescentes, que por sua vez fizeram uma leitura da passagem da adoração dos Reis Magos ao Menino Jesus, enquanto outros consagrados participaram de um momento de oração com jovens universitários.

 

A vigília contou ainda com um jantar de confraternização sucedido por um grande louvor e pelo testemunho de conversão de um dos consagrados da Comunidade Palavra Viva, que ressaltou a importância de responder sim cada dia ao chamado de santidade, isto é, deixar que Jesus nasça e cresça no interior de cada um.

 

Graças sejam dadas a Deus pelo dom da vida de cada um dos jovens que participaram desta bela vigília.

Escolha o Idioma