Slide com plugin cycle
# # #

Contato

 

Belo Horizonte

 

O que seria de nós se Deus

tivesse nos fechado as  portas?

 

Foto 3

 

A quaresma é um tempo oportuno para vivência de uma renovação espiritual: "é este o tempo favorável, este é o dia da salvação “( II Coríntios 6, 2). Iniciando este tempo litúrgico com a quarta-feira de cinzas, a Igreja no mundo inteiro coloca sobre a fronte de todos os fiéis as cinzas, convocando cada um a converter-se e crer no evangelho. O gesto da imposição das cinzas, leva o homem a fazer memória de três questões essenciais da vida: o seu nada, a sua condição de pecador e sua realidade de morte.

 

 Fazer memória é o grande segredo para quem quer neste mundo configurar a sua vida com a vida de Cristo.  E é isto que o santo padre, o Papa Francisco, convidou a cada fiel a fazer no início da quaresma. Ao celebrar a audiência geral na praça de São Pedro, no dia primeiro de março, o Papa Francisco afirmou que “a quaresma ajuda os cristãos a renovarem a sua identidade e renasceram no amor de Deus, recordou também que a quaresma é o tempo da memória, é o tempo de pararmos e perguntarmos o que seria de nós se Deus tivesse nos fechado as portas? O que seria de nós sem a sua  misericórdia que não se cansa de nos perdoar e nós da sempre oportunidade de começar de novo ?

 

 Foi buscando viver com profundidade este tempo litúrgico e impulsionados pelas palavras deste grande homem escolhido para governar a Igreja, que para nós segundo o Concilio Vaticano II, é sacramento da salvação, que os jovens do grupo Metanóia se reuniram para meditar este tema, “o que seria de nós se Deus tivesse nos fechado as portas?

 

 Através do louvor, da escuta da Palavra de Deus, da troca de experiência e da oração, cada jovem e cada consagrada que estavam presentes puderam com mais intensidade assumir o seu dever de cristão durante o tempo da quaresma, um momento decisivo para história de sua salvação pessoal.

 

 

 

 

 

 

Fazei-nos um só corpo e um só espírito!

Cerco de Jericó MIssionário Palavra Viva em Frutal - MG

 

Imagem1

 

Realizou-se o II Cerco de Jericó na Paróquia Nossa Senhora Aparecida em Frutal – MG entre os dias 06 a 13 de novembro com o tema “Misericordiosos como o Pai”, o ápice da espiritualidade do cerco que está compreendido no sacrifício da santa missa.

 

Introduzida pela solenidade de todos os santos a semana missionária começou com uma missa presidida pelo pároco Eliseu que ressaltou a necessidade de viver a santidade, desejando-a todos os dias e que a vivência das bem aventuranças é um dos caminhos seguros para sermos santos, bem como o desapego a obediência e a perseverança.

 

Alguns padres foram convidados a celebrar este tempo de graça na vida da paróquia, com seus ensinamentos nos exortaram a termos “uma vida de equilíbrio espelhada na vida de Jesus, que se alcança passando por um processo de conversão e que mesmo que seja doloroso temos fé que tudo passa o que fica é a graça de Deus”.

 

Ao final das celebrações toda a comunidade seguia Jesus na eucaristia pelas ruas em procissão, clamando a misericórdia e o seu sangue para que purificasse toda a cidade, que o próprio Jesus estabelecesse o seu reinado e se levantasse sobre todas as muralhas que os impedem de viver uma fé enraizada na doutrina católica.

 

 

 

 

 

 


 

 

O reino dos céus são das crianças!

 

 

Imagem3

 

 

Os alunos da escola Cândida puderam vivenciar momentos de evangelização conduzidos pelas missionárias que estavam realizando o Cerco de Jericó na paroquia Nossa Senhora Aparecida em Frutal-MG.

 

As crianças participaram de um momento de animação onde puderam se divertir e louvar a Deus pelo seu infinito amor que no qual podem confiar plenamente. De forma breve as crianças foram conhecendo as histórias dos personagens bíblicos como Mateus, João e Maria Madalena e como a bondade de Jesus mudou suas vidas.

 

Em um segundo momento com o auxílio da palavra de Deus eles aprenderam como se deu a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e Maria reunidos no cenáculo e a importância de clamar este mesmo Espírito para viver o mesmo que Pedro e os apóstolos viveram, passar do medo para a coragem de assumir seu amor por Jesus.

 

Com uma singela oração os pequenos pediram a Jesus que estivessem sempre com eles e tiveram uma experiência de entregar a chave de seu coração e permitir que Jesus fosse o motivo de seus sorrisos.

 

 

 

 

 

          

 

Respostas: caminho de encontro ao Pai

 

 

Imagem1 

 

 

O encontro com a Misericórdia foi a marca central do Luau que aconteceu em Frutal, MG. Com a disposição de levar cada participante a essa experiência, o evento foi realizado de forma bem dinâmica para elucidar essa realidade que nunca é estática, mas fecunda-se no movimento.

 

Foi vivida uma “Lectio Viva” em que várias cenas da Misericórdia – como O bom Samaritano, A pecadora caída, a samaritana e o Filho pródigo – foram encenadas em um teatro mudo e, logo após, a leitura da respectiva Palavra gerou uma reflexão meditada.

 

A Pregação da noite sugeriu os seguintes questionamentos: quais bens tenho esbanjado? Materiais, emocionais ou espirituais? Onde o pecado me feriu? E quais manifestações da Misericórdia preciso hoje alcançar do Senhor: O calçado da liberdade, as vestes da dignidade ou o anel da estabilidade?

 

A resposta veio do coração de cada pessoa que ali esteve presente após a adoração eucarística onde, sentados como filhos ao redor do Pai, o próprio Senhor direcionou este encontro de um Deus que ama e espera sempre.

 

Ao final, convidados ao banquete para comemorar esse laço de amor, o louvor e a alegria fizeram reafirmar, mais uma vez, que o melhor lugar para estar é na Promessa que o Senhor reservou para nós, pois somente nela temos a certeza de que a paz nunca nos será roubada.

 

 

 

 

 

 

Mais Artigos...

Escolha o Idioma